10 de novembro de 2010

#5



Há confrontos, desentendimento e falta de coragem. Não entendo, não te entendo. Foi tudo muito repentino, e sem explicação decente. Apenas queria entender-te, como sempre entendi. Suponho que não me enganei, mas eu sabia lidar contigo, tu sabias ouvir-me, eu tive um impacto na tua vida, e eram poucas as pessoas que o conseguiam.
Foi tomada uma decisão da minha parte, e aceitaste, sem te defenderes. Não queria puder entrar na tua mente, porque tenho um pequeno receio do que poderei encontrar a meu respeito. Não queria  pedir uma segunda oportunidade, queria apenas ouvir-te. Mas foges.
Se gostava de estar novamente contigo? Gostava, obviamente que gostava. Poder sentir novamente aquela segurança que me dava força para superar tudo. Mas não vou agir mais, cansei-me de ter esperanças. Tenho de pensar em mim, é verdade, tenho de me colocar em primeiro plano.
Vou permanecer quieta, olhando para o mundo a mudar. Não vou forçar nada, apenas preciso de tempo para me recompor e de recuperar forças. Mas agora, por muito que me custe, vou dizer: desisti.
Mas uma coisa é certa, a ti eu disse "amo-te" e isso ainda é sentido. Admito que anseio que os nossos destinos de cruzem novamente, mas até lá, sou eu e não tu.

4 comentários:

Isa F disse...

E fazes muito bem! :)

Sim, foi um episódio que presenciei naquele dia, infelizmente...

Marta D'Almeida disse...

gostei :D

Mary disse...

Oh obrigada :)
Os teus textos estão realmente muito bonitos.
Como eu te percebo também.

Rui Águas disse...

escreves muito bem ^^

estou a seguir