15 de novembro de 2011

#43


 tentava construir os meus planos do futuro até que encontrei o homem da minha vida, achei tanta vez que não seria bom mas no entanto isso tornou a minha vida melhor, mais completa. e mesmo longe, nada mudou. 

15 comentários:

Algo Estranho... Alguém Diferente! disse...

só resta acreditar , num é?

Maria do Mar disse...

Gostei muito do blog, estou a seguir :) Parabéns *

ana disse...

ainda bem que encontras-te :')) sê feliz*

ana cristina disse...

mas custa ver que voces gostam um do outro e é dificil ficarem juntos :/
como tens lidado com isso?
oh, a minha vida não é muito interessante :p

sofia ferreira disse...

adoro !

Janne ♥ disse...

E como estão as coisas agora?

Algo Estranho... Alguém Diferente! disse...

tem que ser, é a o acreditar que nos move.

ana disse...

porqê um dia mais tarde? de nada :)

ana cristina disse...

pois eu acredito .. e não tem falado? :)
oh, acredita q nao. nada q me possas perguntar, poderá desencadear uma resposta interessante

ana disse...

porqê? :c

ana disse...

ai, isso é mais complicado :c

ana disse...

força! :)

Nayara Borato disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Alma de poesia. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

http://narroterapia.blogspot.com/

Paula disse...

Gostei imenso do blogue, vou seguir (:

Paula disse...

Nem a distância destrói um grande amor (:
O futuro é melhor quando deixamos de o planear sozinhas e passamos a planeá-lo a dois.